Creche de Fabriciano investe em capacitação para primeiros socorros em caso de engasgos

O CMEI Sonho de Criança, do bairro JK, em parceria com o pelotão dos Bombeiros na cidade, promoveu no município a implantação de uma Lei Federal, aprovada em 2018, que obriga escolas públicas e privadas, de educação infantil e básica a capacitar cuidadores, professores e monitores em primeiros socorros de bebês e crianças pequenas em casos de engasgos ou asfixia por líquidos ou alimentos sólidos.

 

Trata-se da Lei 13.722/18, conhecida com Lei Lucas, criada após um movimento motivado pela morte do menino Lucas Begalli Zamora, de 10 anos. Ele morreu em 2017, em Campinas/SP, após se engasgar com um lanche durante passeio da escola em que estudava.

 

A diretora do CMEI Sonho de Criança, Rosilaine Vieira Moraes Andrade Coura, se inspirou numa experiência própria para promover a aplicação da lei. Ela conta que quase perdeu o filho, menor de três anos, que se engasgou com um pirulito e seu pai, avô da criança, agiu rápido e salvou o bebê. “Recentemente também tivemos um caso de engasgo na creche e pude observar que minha equipe estava despreparada. A cuidadora não soube agir, mas ainda assim conseguimos socorrer a criança. Então, entendo que todos devem estar preparados. São minutos que podem salvar uma vida, por isso pedi o apoio do Corpo de Bombeiros para dar essa qualificação”, disse Rose.

 

No total, 45 funcionários participaram do treinamento ministrado dentro da instituição com a presença de alguns pais. O comandante local dos bombeiros, Ten. Wildemarque Ferreira Costa que fez questão de parabenizar a escola pela iniciativa e se colocou à disposição para atender outros educandários que queiram oferecer a qualificação. O secretário de governança Educacional, Carlos Alberto Serra Negra também aprovou a iniciativa. “Nós acreditamos que a segurança das crianças é prioridade, por isso, a iniciativa do CMEI foi digna de aplausos. As escolas tem autonomia para promover  qualificações como essa e receberão de nossa parte todo apoio para aplicar a lei”, disse Serra.

 

Senhor Elias, pai de uma crianças matriculada no CMEI, ficou tão satisfeito com a qualificação que até participou como voluntário na hora do treinamento. “É muito bom saber que o pessoal agora está treinado para socorrer as crianças em caso de engasgo. Isso é muito comum de acontecer e se não tiver preparado, pode terminar de forma muito triste”, disse Elias.