Gestão de despesas reduz gastos na Administração

Para proporcionar maior transparência aos cidadãos das ações e investimentos econômicos do Executivo Municipal, a Prefeitura de Coronel Fabriciano realizada levantamentos e comparativos. A iniciativa foi implementada em 2017 para detectar déficits, pensar soluções juntamente com as Secretarias da pasta responsável e eliminá-los.

A atual Gestão conseguiu reduzir custos consideráveis de faturas anteriores a 2017. Todas as secretarias e os mais diversos setores passam periodicamente pelas avaliações de transparência. Dentre os resultados levantados está o comparativo dos valores gastos com contratações de serviços e compras. A Saúde do município por ser uma das prioridades da administração já começou a apresentar resultados.

Em 2016, a administração anterior adquiriu 361.800,00 unidades (trezentas e sessenta e uma mil e oitocentas unidades) de Clonazepam – medicamento utilizado para tratar sintomas de ansiedade e depressão - pelo valor de R$ 247.336,38, com custo unitário por comprimido de R$ 0,64 centavos.  Já entre os anos de 2017 e 2018, a gestão Novos Tempos adquiriu 1.910.050 (Um milhão, novecentos e dez mil e cinquenta unidades) do mesmo medicamento, por menos da metade do valor anterior: R$ 112.085,00, considerando o preço unitário de R$ 0,58 centavos. Só neste item, o comparativo mostra uma economia de R$ 135.251,38 para os cofres públicos.

 

TRANSPARÊNCIA NA EDUCAÇÃO

A transparência também já surtiu resultados na Educação. Em 2016, alimentos simples da merenda escolar eram comprados pelo dobro do preço pago hoje pela administração Novos Tempos. Um exemplo é o alho: em 2016 foram pagos R$ 18,20 em um quilo de alho, no início deste ano, o mesmo item custou R$ 7,79 – menos da metade do preço anterior. O quantitativo economizado foi de R$ 10,41.

Outros alimentos que entraram para a lista do case de transparência e com diferença consideráveis nos preços são: o quilo do apresuntado, caiu de R$ 17,90 (2016) para R$ 11,60 (2019); a carne bovina reduziu de R$ 16,75 (2016) para R$  11,85 (2019); carne suína, caiu de R$ 14,69 (2016) para R$  8,44 (2019); costela suína de R$ 14,00 (2016) para R$  10,60 (2019) e linguiça tipo calabresa de R$ 16,70 para R$ 11,40. O valor de referência em 2016 foi cotado pela administração anterior e os produtos, adquiridos no inicio de 2017 pela Gestão Novos Tempos logo quando assumiu o governo.

Vale ressaltar que em 2016 a rede municipal possuía cerca de 8 mil alunos e hoje, já chega a 9 mil.

 

TRANPARÊNCIA
Apesar do Governo Estadual dever cerca de R$ 50 milhões ao município, a administração tem focado no monitoramento e  contenção de gastos para que os munícipes não sejam afetados. O cidadão pode ter acesso a todos os processos licitatórios e compras por meio do Portal da Transparência e Diário Oficial do Município.